publicado dia 06/09/2017

Cidade em Jogo aproxima jovens de conceitos da gestão pública

por

Texto originalmente publicado no Centro de Referências em Educação Integral

Para aproximar a política e práticas de gestão pública dos jovens, a Fundação BRAVA e o Brazil Institute do Woodrow Wilson Center criaram o Cidade em Jogo, voltado para alunos de Ensino Médio e que simula, de maneira didática e interativa, a administração de uma cidade, suas prioridades e imprevistos ao longo da gestão.

O jogo virtual é inteiramente gratuito e tem também uma seção para professores, permitindo que eles abordem temas relacionados à cidadania e educação política em sala de aula.

No jogo, o aluno torna-se prefeito de sua cidade, tomando decisões estratégicas e conhecendo mais de perto os desafios de uma gestão municipal.

Como funciona o Cidade em Jogo

O jogo acontece em várias etapas. A primeira consiste em escolher o tipo de cidade a ser administrada. Posteriormente, o aluno decide, a partir de uma lista, três prioridades do seu governo, como promover competitividade, combater a corrupção ou reduzir desigualdades.

Em seguida, o “prefeito por um dia” analisa as políticas públicas possíveis para cada Secretaria e escolhe três que serão aplicadas naquele momento.

A cada rodada, o aluno é confrontado com um imprevisto, por exemplo, um surto de dengue que altera o seu planejamento e demanda uma ação imediata.

Ao final de dez turnos, é feita uma avaliação dos resultados e dos impactos das decisões tomadas.

Uma das etapas do jogo Cidade em Jogo consiste em determinar prioridades

Uma das etapas do jogo Cidade em Jogo consiste em determinar prioridades

Área para o professor

A plataforma do Cidade em Jogo também contém uma área restrita para os professores. Após realizar um cadastro, o docente tem acesso a conteúdos complementares, sugestões de aplicação do jogo em sala de aula e ainda a possibilidade de iniciar uma rodada exclusiva do jogo com seus alunos.

Também por meio da ferramenta o professor recebe, ao final da rodada, um relatório de desempenho de cada jogador e pode avaliar e debater com a turma quais estratégias foram mais bem sucedidas em cada caso e os respectivos motivos do êxito.

Garantir participação social real é fundamental para Cidades Educadoras