Qual o nome daquele tubérculo de casca marrom tão presente na culinária brasileira? Mandioca? Aipim? Macaxeira? E a pronúncia da letra “R” na palavra “porta”: é longa, curta, forte ou fraca? “Irado” é um adjetivo que designa um estado de ânimo ou uma forma de dizer que algo está muito bom?

A língua é um organismo vivo que está em constante transformação e varia de território para território, geração para geração e entre grupos sociais distintos. Esta mutabilidade se chama variação linguística: não há certo ou errado, ainda que exista uma norma gramatical que estabeleça as regras para a língua escrita. O importante é poder comunicar-se, transmitir as ideias e ser entendido pelo outro.

Assim, a linguagem que é utilizada – e como – apresenta mais do que fatos: pode revelar modos de ser e valores ou ideias intrínsecas. Isto é, o fato de utilizarmos uma ou outra palavra para designar algo pode refletir a maneira como nos relacionamos com este objeto/sentimento/fenômeno.

O uso das palavras pode revelar ainda relações de poder, raciais, de gênero ou domínios históricos, escancarando preconceitos. Mas pode, simplesmente, revelar a origem da pessoa  se pede bolacha, é de São Paulo, se pede biscoito, é do Rio de Janeiro.

Por outro lado, a língua é uma forma de incorporar culturas. São diversos os empréstimos linguísticos presentes na língua portuguesa. Palavras provenientes do francês e do inglês, por exemplo, aparecem em muitos contextos e para designar diversos objetos ou situações.

Nesta perspectiva, palavras e expressões idiomáticas são ferramentas para suscitar discussões e filosofar a respeito dos mais diversos assuntos, aprender sobre a cidade e as relações existentes nela, além de recontar trajetórias e relações culturais.

PERGUNTAS DISPARADORAS

  • Além do português, há outro idioma falado em sua região/bairro?
  • Qual a relação dos habitantes com as línguas originárias do território (por exemplo, línguas indígenas)? Há palavras indígenas que nomeiam locais do território? Quais?
  • Existem palavras utilizadas cotidianamente que foram importadas de idiomas estrangeiros?
  • Há alimentos ou objetos que possuem outros nomes em locais próximos?
  • Todos os habitantes da região pronunciam da mesma forma uma determinada palavra?
  • Há palavras iguais que possuem significados diferentes a depender da localidade?