Escrito em parceria com CEU Heliópolis

O calendário é uma forma de estruturar-se no tempo, estabelecendo marcos, prioridades, datas comemorativas, etc. Ele pode se organizar cronologicamente, em torno de festejos religiosos, da colheita ou ainda seguindo os ciclos da natureza.

Uma pessoa, individualmente, pode fazer um calendário para organizar suas tarefas e compromissos. Já uma comunidade estabelece um calendário para compartilhar de forma coletiva crenças e memórias, datas comemorativas, marcos, dinâmicas e momentos do território.

Existem também os calendários socialmente instituídos ou governamentais, como os feriados nacionais e municipais – no Brasil, em sua maioria vinculados às datas cristãs ou marcos históricos, como Declaração da Independência e Proclamação da República.

De maneira semelhante, uma comunidade pode criar o seu próprio calendário local, estabelecendo e organizando no tempo aquilo que lhes é importante. Trata-se de um planejamento unificado, que articula as diferentes pautas, identifica marcos e estabelece datas.

É um processo que exige revisão constante, conforme surgem novas referências ou se alteram as necessidades. Estes calendários podem ser anuais, destacando os grandes eventos dos quais a comunidade participa, ou convencionar meses temáticos com atividades específicas.

Este calendário é considerado um saber por refletir a articulação e mobilização comunitária em torno de uma agenda comum, revelando a forma como este grupo se estrutura no tempo. Além disso, um calendário unificado e coeso reconhece o passado e o presente da comunidade para metabolizar ações futuras. Esse processo envolve, portanto, as antigas lideranças, passando pelos jovens até as crianças de uma localidade.

O envolvimento desses agentes adquire um caráter educativo. Entender o porquê de cada uma das pautas e datas estipuladas pelo calendário pode suscitar uma série de discussões e conhecimentos a respeito daquele território, contribuindo para uma formação comprometida com a cidadania, o bem coletivo e o pertencimento dos sujeitos.

PERGUNTAS DISPARADORAS

  • Quais as datas mais importantes para esse território?
  • Os personagens da história local estão refletidos em datas e comemorações?
  • Como se organiza a comunidade?
  • Há alguma entidade, como uma escola ou movimento social, que estipule compromissos coletivos nesta comunidade?